terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Grande apoio aos grevistas bilbaínos Urtzi e Telle nas ruas de Deustu

«Aske, aske, aske, grebalariak aske», gritou-se ontem à tarde nas ruas do bairro bilbaíno de Deustu. Cerca de 600 pessoas participaram numa manifestação para reclamar a liberdade dos dois jovens grevistas, bem conhecidos no bairro - Jon Telletxea e Urtzi Martínez -, que acabam de receber ordem de prisão. A partir de 22, têm um prazo de 10 dias para comparecem voluntariamente na prisão, ou seja, dia 1 de Outubro.
O movimento Eleak e plataforma Grebalariak Aske! já avisaram que não os vão deixar sozinhos; as centenas de pessoas ontem presentes na manifestação também deram uma boa resposta. Ali, fez-se um apelo importante: que as pessoas apareçam dia 2 de Outubro, às 11h00, no Albia lorategia, frente ao Tribunal de Bilbo.
Para além disso, na mobilização reclamou-se a absolvição dos jovens, cuja condenação a 2 anos e meio de cadeia pela Audiência Provincial da Bizkaia, por «fazerem umas pintadas» na greve geral de 29 de Março de 2012, foi definida como «um atropelo» e o resultado de «uma montagem vazia». / Ver: uriola.info

Comunicado: 
«La Asamblea Nacional de LAB muestra su solidaridad a Urtzi y a Jon», de LAB (LAB 1 e 2)
Martínez y Telletxea son conocidos por el ingente trabajo que realizan en el movimiento social de sus barrios; este es un castigo a su compromiso político. Así pues, el proceso judicial instruido contra ellos y el castigo impuesto constituye un ataque a toda la clase trabajadora.

Dispersão assassina: declarações de Joseba Artola sobre o acidente sofrido pela sua irmã Jone

Numa conferência de imprensa massiva na Praça do Arriaga, em Bilbo, a Etxerat pediu que se acabe de uma vez por todas com a política de dispersão, que este fim-de-semana provocou um acidente mortal em Tutera, no qual estiveram envolvidos familiares do preso político basco Ugaitz Pérez. Jone Artola, que foi porta-voz da Etxerat vários anos, continua internada no Hospital de Basurto, à espera de ser operada ao úmero; o seu companheiro encontra-se sob observação, depois de hoje se ter dirigido às Urgências com tonturas e vertigens.

Declarações de Joseba Artola sobre a dispersão assassina [Erre Harria] Na conferência de imprensa, falou o irmão de Jone, Joseba Artola, bem como Nagore López de Luzuriaga e Izaskun Abaigar, porta-vozes da Etxerat, que sublinharam que sinistros como o ocorrido no sábado «não são um acaso», mas «uma consequência» da política posta em prática há 25 anos.

Os que hoje a mantêm são responsáveis por aquilo que possa acontecer todas as semanas a centenas de pessoas que fazem milhares de quilómetros para visitar os seus familiares. Ambas recordaram que nestes 25 anos, 16 familiares perderam a vida nas estradas e centenas ficaram feridos. Este ano, em nove meses houve nove acidentes graves.

Concentrações
Para voltarem a reivindicar o fim da vingativa política prisional vigente, foram convocadas para amanhã, ao meio-dia, concentrações em Bilbo (Praça do Arriaga), em Gasteiz (Praça da Virgem Branca), em Donostia (frente ao Alderdi Eder) e em Iruñea (frente ao Parlamento navarro). / Ver: lahaine.org

Itzubaltzeta: «Crónica de un vasco en la fiesta de Avante»

Hacer un resumen de la Festa es un ejercicio de memoria por todo entre lo que hay que navegar mentalmente y seleccionar, de añoranza por los buenos, irrepetibles momentos vividos, disfrutados en grata compañia, no es facil resumir lo que es y representa una fiesta donde lo ludico y lo politico se combinan para dar a luz una fiesta de amigos, de camaradas, de puro pueblo (boltxe.info)

«Obama, Cuba y el nuevo terrorismo», de Atilio BORÓN (lahaine.org)
Pero hace poco tiempo apareció una nueva forma de terrorismo, más sutil que la de la daga y la cimitarra pero cuyas víctimas se cuentan por millones: el terrorismo financiero. Su principal cultor y exponente no es el repugnante verdugo islámico vestido de negro sino un afrodescendiente de suaves modales, galardonado en el año 2009 con un insólito Premio Nobel de la Paz y que ocupa la presidencia de los Estados Unidos.

¡Alfon libertad! / Liberdade para Alfon!

«#AlfonLibertad: Del Ateneo de Madrid a Vallekas» (lahaine.org)
Una rueda de prensa en el Ateneo de Madrid con multitud de figuras de la cultura y la política precedió a una manifestación en Vallekas para exigir la absolución de Alfon.

«#AlfonSomosTodxs: Alfon Libertad» Ver: lahaine.org

Leitura:
«Alfon y el lenguaje del martillo», de La Haine-Madrid (lahaine.org)
Y seamos claros, el peligro es evidente. Sabemos que nosotros tenemos más equipamiento represivo, una logística adaptada a los intereses de los que pagan, tenemos más dinero y la complicidad de los medios de comunicación. Pero también sabemos que vosotros sois más, y, sobre todo, tenemos un serio problema: Sabemos que vosotros creéis con más fuerza en la victoria. [Na foto de baixo: acção solidária, hoje, em Bilbo.]

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Trabalhadores da Nanuk concentraram-se em Bilbo em defesa de condições de trabalho dignas

No último trimestre do ano passado, os trabalhadores da Transportes Nanuk, de Elorrio (Bizkaia), levaram a cabo uma longa e dura luta pela defesa dos postos de trabalho e de um acordo de empresa que garantisse condições de trabalho dignas. Agora, vêem-se confrontados com novos ataques.

Apesar de os representantes dos trabalhadores terem firmado um acordo que estabelecia o cumprimento de 1724 horas de trabalho, a empresa não demorou a impor as 1900 horas, manifestando uma atitude prepotente e procurando meter medo a quem lhe fazia frente, violando direitos consagrados.

O LAB salienta também o facto de essas horas «a mais» poderem servir para a criação de novos postos de trabalho, mais ainda numa terra como Elorrio, que tem uma taxa de desemprego de 10%.

Para o sindicato abertzale, é óbvio que os trabalhadores e trabalhadoras fazem mais horas que as estipuladas no acordo. Da mesma forma, é óbvio que a empresa privilegia a imposição à negociação, não cumprindo as cláusulas firmadas, não atendendo às propostas avançadas pelos sindicatos e promovendo um clima de tensão desnecessário.

Os trabalhadores da Transportes NANUK afirmam que não vão aceitar qualquer tipo de chantagem, nem imposições que afrontem os seus direitos. / Ver: LAB

Três familiares de um preso sofrem grave acidente em que faleceu uma mulher

Jone Artola, txupinera das festas de Bilbo em 2013 e porta-voz da Etxerat durante vários anos, ficou gravemente ferida na sequência de um acidente ocorrido ontem, pelas 22h00, na AP-68, junto a Tutera, quando regressava de uma visita ao preso político basco Ugaitz Perez. Jone teve de ser hospitalizada, com três costelas partidas, o úmero partido em três partes e uma fissura no externo. Viajava com o marido e o filho, que sofreram ferimentos menos graves. Uma mulher grávida que seguia na outra viatura envolvida no sinistro perdeu a vida.

Numa nota, a Etxerat afirma que Jone Artola e a família partiram de Bilbo, na sexta-feira, com destino à prisão de Castellón II, a 590 quilómetros de Euskal Herria, onde tinham uma visita prolongada, no dia seguinte, ao preso político basco Ugaitz Perez. No regresso, já em Euskal Herria, sofreram um grave acidente. Uma viatura que seguia em sentido contrário perdeu o controlo, atravessou a divisória da auto-estrada e meteu-se na faixa em que eles seguiam. Uma mulher de 31 anos que viajava no outro veículo perdeu a vida.

O companheiro e o filho de Artola, que seguiam na parte da frente do carro, conseguiram sair pelas janelas, mas Jone Artola ficou encarcerada na viatura. Está agora em observação no Hospital de Basurto, em Bilbo.

A Etxerat diz que Jone e os seus familiares têm sido obrigados, pela dispersão, a fazer-se à estrada todos os fins-de-semana, como milhares de outros familiares de presos. «Há 30 anos na estrada, pondo as suas vidas em risco cada fim-de-semana», denuncia a Etxerat, que destaca ainda o facto de este ser o nono acidente - e também o mais grave - provocado pela política de dispersão este ano.

Face ao ocorrido e com Jone no hospital, a Etxerat exige a todos os responsáveis políticos e institucionais uma atitude firme, concreta e rápida contra a dispersão. «É tempo de dizer basta» e de «passar das palavras aos actos», vinca a associação.

A Etxerat anunciou que irá dar uma conferência de imprensa amanhã, às 12h00, frente ao Teatro Arriaga, em Bilbo. Estarão presentes familiares de Jone Artola. / Ver: etxerat.info

Borroka Garaia: «Pintar»

La represión del hipócrita sistema en realidad no es más que la protección armada de la patronal, del capitalismo, de la opresión nacional y social, en definitiva de la injusticia. Nada más y nada menos. Los mismos que impiden la libertad de expresión, los que intentan monopolizar la información y quieren paredes mudas como en las dictaduras. (BorrokaGaraiaDa)

«Donbás, una lucha manipulada», de Amparo LASHERAS (lahaine.org)
En Ucrania se está librando una guerra con un fuerte contenido de clase y hay que situarla en la lucha del pueblo trabajador del Donbás por su independencia y, también, como una respuesta contra el fascismo que gobierna en Ucrania con el visto bueno del FMI, que ve en los dirigentes ucranianos unos aliados perfectos. «Luchamos con las armas en la mano por nuestras vidas, esta es nuestra tierra. No nos vamos a rendir», afirman los mineros de Donetsk en un trágico mensaje dirigido al los trabajadores europeos. La respuesta es clara, la solidaridad.

Apoio ao povo trabalhador do Donbass no dia do jogo Athletic-Shakhtar Donetsk

Esta quarta-feira, 17, disputa-se em Bilbo o jogo Athletic-Shakhtar Donetsk (ФК Шахтар Донецьк), pelo que diversas associações decidiram organizar uma jornada de luta antifascista e solidária com o povo do Donbass.

Os promotores da iniciativa afirmam que aproveitam a presença na capital biscainha do Shakhtar - um clube fundado em 1936 com o nome de Stakhanovets Stalino, em honra do lendário mineiro soviético Aleksei Stakhanov - para expressarem a sua solidariedade à luta que o povo trabalhador do Donbass trava contra o fascismo, e fazem um apelo à participação de todos.

O programa da jornada inclui uma feira solidária no 7Katu Gaztetxea, uma kalejira [marcha, desfile] desde a Kirruli Taberna e uma concentração antifascista junto ao San Mames Barria.

Organizam/colaboram, entre outros: Euskal Herria-Donbas elkartasun komitea, Ikasle Ekintza, Herri Norte Taldea, Basauri Antifaxista, Ahaztuak 1936-1977, Gazte Erandio Komunista, Erandioko Asanblada Antifaxista, Eraikitzen Herri Asanblada. / Mais informação: Euskal Herria-Donbas elkartasun komitea

Donbassetik ez dira pasako! No Donbass não passarão!

domingo, 14 de Setembro de 2014

Gernika reivindicou a liberdade dos 28 jovens independentistas

O Centro Cultural Astra, em Gernika (Bizkaia), encheu-se, hoje, para reivindicar o fim dos julgamentos políticos, a defesa dos direitos civis e políticos e a liberdade dos 28 jovens acusados de pertencer à Segi que começam a ser julgados em Madrid dentro de uma semana (dia 22). Para esse efeito, foi apresentada uma «declaração dos cidadãos» e foram assumidos compromissos.

No acto nacional hoje realizado em Gernika para denunciar o julgamento dos 28 jovens independentistas reivindicou-se a passagem da solidariedade ao compromisso e, nesse sentido, o Eleak fez um apelo à desobediência a leis injustas; um representante dos 40 jovens independentistas absolvidos em Junho assumiu o compromisso de, entre todos, ajudar a fazer frente às despesas associadas ao julgamento; agentes sociais, políticos e sindicais, por seu lado, comprometeram-se a continuar a trabalhar pelo fim dos julgamentos políticos. Também vão pôr em marcha uma recolha e assinaturas.

O julgamento destes jovens começa a 22 de Setembro e prolonga-se até Dezembro, na AN espanhola. Tal como se recordou, as acusações que sobre eles pendem são as mesmas que eram apontadas aos 40 que foram absolvidos em Junho deste ano.

Os jovens grevistas bilbaínos Jon Telletxea e Urtzi Martínez, condenados a 2 anos e meio de cadeia por fazerem umas pintadas na greve geral de 29 de Março de 2012, também estiveram presentes no acto de hoje, tendo recebido o apoio dos presentes. Amanhã têm de ir a tribunal e, de acordo com a informação divulgada pela plataforma Grebalariak Aske!, a partir de dia 22 têm um prazo de 10 dias para se apresentar na cadeia. A Grebalariak Aske! convocou uma manifestação para amanhã (19h00), a partir da Done Petri plaza, no bairro bilbaíno de Deustu.

Fim-de-semana laranja
Organizado pelas várias assembleias dos bairros e localidades de onde são os 28 jovens independentistas bascos, o «Asteburu laranja» teve como objectivos denunciar os julgamentos políticos, defender os direitos civis e políticos e apoiar os 28, mostrando-lhes que não estão sozinhos.

Este «fim-de-semana» teve início na sexta-feira e prolongou-se até hoje, com múltiplas e variadas iniciativas a decorrerem em localidades como Astigarraga, Bergara, Burlata, Atarrabia, Sestao, Portugalete, Santutxu (Bilbo), Txantrea (Iruñea), Errotxapea (Iruñea) e centro de Iruñea (onde se construiu um mural alusivo a Iruñerria - toda a comarca de Pamplona), Gasteiz, Donostia (onde hoje se realizou uma manifestação) e Gernika (onde decorreu o acto nacional). / Fontes: topatu.info e outras / Fotos: topatu.info

Como vê um mecânico a dispersão dos presos políticos bascos? [vídeo]

A política de dispersão começou a ser aplicada às presas e aos presos políticos bascos há já 25 anos. Contudo, há muitas situações geradas pela dispersão que se escondem no dia a dia. Neste vídeo divulgado pela Sare, um mecânico manifesta o seu ponto de vista sobre a dispersão e revela algumas dessas situações escondidas. Badira 25 urte euskal presoei dispertsioa aplikatzen hasi zitzaienetik. Sakabanaketak, baina ezkutuan geratzen diren egoera asko ditu. Bigarren bideo honetan, mekaniko batengana jo dugu, ezkutuan geratzen diren egoera horiek ezagutu nahian. / Ver: ahotsa.info

Izquierda Castellana: «El inmovilismo español no podrá frenar la voluntad democrática del Pueblo de Cataluña»

En Iz.Ca. le damos total credibilidad a esas amenazas porque conocemos muy bien el carácter antidemocrático y neofranquista del bloque dominante español. Pero esa política protofascista del bloque dominante español será respondida en la calle hasta la victoria, no sólo por el Pueblo de Cataluña sino también por todos los sectores democráticos del conjunto de Pueblos del Estado Español. Será el camino para la caída de el Régimen del 78, cada día mas enfrentado a los intereses de las mayorías sociales del conjunto de los Pueblos del Estado. (boltxe.info)

«Confieso que he vivido: Allende», de Pablo NERUDA (lahaine.org)
Reproducimos un fragmento del libro del poeta Pablo Neruda Confieso que he vivido, en su capítulo «Patria dulce y dura» donde habla de su gran amigo y compañero Allende, donde expone con su magistral encanto cómo llega aquel patriota al poder y porqué se produce el golpe y asesinato de Allende, qué significó su gobierno, cuál fue el lugar del pueblo y cuál el lugar de la antipatria, encarnada en los sectores reaccionarios y los militares golpistas.

Apoio à Palestina e apelo ao boicote a Israel nas ruas de Irun

Dezenas de pessoas participaram ontem, 13, na manifestação que percorreu as ruas de Irun (Gipuzkoa) sob o lema «Palestina askatu! Israeli boikota!» [Liberdade para a Palestina! Boicote a Israel!]. A mobilização, convocada pelo grupo de trabalho «Irun com a Palestina», teve também a adesão da mesquita local. Assim, na manifestação juntaram-se pessoas de muitas origens, unidas pela vontade de denunciar o «genocídio» do povo palestiniano e a situação que vive actualmente.

Ao longo da mobilização, que terminou na San Juan plaza, ouviram-se muitas palavras de ordem de apoio à Palestina e contra Israel. Para além de muitas bandeiras e pancartas, os manifestantes mostraram inúmeras imagens que reflectiam as consequências dos bombardeamentos recentes; e também uns quantos caixões onde cabia uma criança, com o nome das Nações Unidas inscrito.

Muito importante foi ainda - na sequência da convocatória realizada - o apelo ao boicote aos produtos de Israel, cujo número do código de barras é 729.

À noite, houve animação musical solidária com a Palestina, no gaztetxe Lakaxita. / Ver: Oarsobidasoa Hitza

Ver também: «Concentração em Donostia contra a presença do cinema israelita no Zinemaldi» [áudio, vídeo, fotos] (lahaine.org)

sábado, 13 de Setembro de 2014

Andoni Goikoetxea foi agredido na cadeia de Fleury

A associação Etxerat fez saber que a agressão ocorreu na segunda-feira, 8, junto à enfermaria da cadeia e que o preso basco de Gaztelu (Gipuzkoa) foi castigado com dez dias na solitária. Por outro lado, Kepa Arkauz está em luta na cadeia de Villepinte.

De acordo com a Etxerat, no corredor que vai dar à enfermaria da cadeia francesa de Fleury, costuma haver vários funcionários a quem mostrar a identificação. Contudo, na segunda-feira havia apenas um, e logo um indivíduo conhecido pela sua atitude hostil para com os presos políticos bascos - tendo, inclusive, algumas agressões no registo. Por isso, o EPPK (Colectivo de Presos Políticos Bascos) em Fleury não aprova contactos com ele.

De acordo com a nota da Etxerat, Goikoetxea passou à frente desse funcionário a caminho da enfermaria, e não parou para mostrar a identificação. Quase a chegar ao destino, apercebeu-se de que o funcionário vinha atrás dele, dizendo-lhe que regressasse ao ponto de controlo para mostrar o cartão de identificação. Goikoetxea seguiu em frente e à porta da enfermaria foi empurrado por duas vezes.

A Etxerat afirma que o funcionário se pôs à frente da porta para impedir a passagem do preso basco, e este, por sua vez, tentou forçar a entrada na enfermaria. Ambos caíram no chão e, nessa altura, dois funcionários que estavam dentro da enfermaria saíram e imobilizaram Goikoetxea. Com ele imobilizado, deram-lhe dois pontapés na cabeça e outros dois nas costas.

Goikoetxea foi levado para uma sala de espera e, depois, consultado na enfermaria. Em seguida, levaram-no para o mitard e puniram-no com dez dias na solitária.

Kepa Arkauz em luta na cadeia de Villepinte
O preso político basco natural de Arrasate (Gipuzkoa), recluso na cadeia de Villepinte, nos arredores de Paris, entrou em luta para protestar contra a situação de isolamento em que se encontra desde 6 de Junho, quando Iñaki Dominguez Atxalandabaso foi extraditado para o Estado espanhol.
Os advogados de Arkauz já propuseram, por diversas vezes, uma solução à juíza Le Vert: a transferência de outro preso basco para Villepinte ou a do preso arrasatearra para uma outra cadeia onde haja presos políticos bascos. / Ver: etxerat.info [Itzulpena gurea da. Akatsak badaude, sentitzen dugu.]

A Guarda Civil leva a cabo uma «operação de castigo» em Altsasu

Várias patrulhas da Guarda Civil ocuparam ontem, 12, o centro de Altsasu, tendo entrado em diversos bares da localidade navarra para revistar e identificar a clientela. Os militares foram equipados com material anti-motim e levaram cães de quatro patas; afirmaram, contudo, que se tratava de uma «inspecção civil de rotina». A operação ocorre duas semanas depois do Ospa Eguna.

Nas palavras da Guarda Civil, o que ontem se passou em Altsasu foi uma «inspecção civil de rotina»: vários furgões e jipes, dezenas de agentes apetrechados com material anti-motim, cães, revistas a bares no centro da localidade, identificações dos clientes e de pessoas que assistiam a tal... «rotina».

Isto ocorreu por volta das 17h00. O Hitzondo, via Twitter, deu o alerta para a existência de um grande dispositivo da Guarda Civil em Altsasu e, depois, foi dando informações sobre o que se estava a passar na localidade do Vale de Sakana.

Durante quase uma hora, os militares entraram em bares, identificaram e revistaram quem estava lá dentro, e ocuparam a praça e as ruas adjacentes, onde procederam à identificação de quem presenciava estes acontecimentos - que têm lugar poucas horas antes do início das festas (as txosnas [barracas] estavam a ser montadas) e quinze dias depois da realização do Ospa Eguna. Nas redes sociais, não foram poucos os que estabeleceram uma relação entre estes factos. / Ver: ahotsa.info

Borroka Garaia: «La vía vasca se hace al andar ¿Por qué estamos parados?»

Cómo romper este bucle va a ser fundamental de cara a los próximos tiempos si verdaderamente queremos iniciar un proceso donde en primera instancia se lleve a cabo el ejercicio de la autodeterminación, y en segunda instancia se proclame la independencia y que ademá los intereses de la clase trabajadora salgan reforzados de cara al socialismo. (BorrokaGaraiaDa) [em português: Diário Liberdade]

«Alucinações bélicas», de Jorge CADIMA (odiario.info)
«O Estado-Maior da guerra imperialista, a NATO, realizou uma Cimeira há poucos dias. O extenso comunicado final da Cimeira é alucinante. O ataque à Rússia foi o tema forte nesta Cimeira do Delírio. Mais uma vez, a guerra e a mentira andam de mãos dadas, ao serviço do imperialismo.»

«De crisis y estafas (o cómo más bien la estafa acecha en las puertas de salida)», de Red Roja (boltxe.info)
Decía Lenin que para los cambios revolucionarios no basta con que los de abajo no aguanten más, sino que los de arriba ya no puedan dominar como hasta entonces. Nos hemos atrevido a añadir: «y cuando los de abajo se dan cuenta de esas debilidades».

Betagarri - «Zure ingurua»

A banda é de Gasteiz. O tema é do álbum Arnasa hartu (2002). Legendas em castelhano.

sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Grevistas bilbaínos Jon Telletxea e Urtzi Martínez enfrentam a prisão

Hoje, os jovens grevistas receberam uma notificação para comparecerem na Audiência Provincial da Bizkaia na próxima segunda-feira, 15, às 11h00. De acordo com o seu advogado, Urtzi e Telle deverão receber então a ordem de encarceramento, e, a partir de dia de 22, terão um prazo de dez dias para se apresentarem na cadeia.
A culminar um longo processo judicial, ambos os jovens foram condenados em Junho pela Audiência Provincial da Bizkaia a dois anos e meio de prisão por terem feito umas pintadas durante a greve geral de 29 de Março de 2012. Desde então, Jon Telletxea e Urtzi Martínez, do bairro bilbaíno de Deustu, estavam à espera de receber a ordem de prisão. Entretanto, repetiram-se as acções a reclamar a sua absolvição.

Manifestação na segunda-feira
O movimento Eleak e a plataforma Grebalariak Aske! afirmaram que Telletxea e Martínez não estarão sozinhos. A plataforma referida convocou uma manifestação para segunda-feira à tarde, às 19h00, a partir da Done Petri plaza, no bairro de Deustu. / Ver: uriola.info e topatu.info

O ex-juiz Garzón novamente repudiado na Argentina [vídeo]

Membros dos Euskal Herriaren Lagunak (Amigos do País Basco) da Argentina protagonizaram, dia 10, um novo «escrache» contra Baltasar Garzón, à entrada da Universidade Metropolitana para a Educação e o Trabalho (UMET), em Buenos Aires, onde o ex-«juiz estrela» ia dar uma conferência sobre justiça universal.

No exterior do edifício os EHL exibiram ikurriñas, bandeirolas pelo repatriamento dos presos políticos bascos e uma faixa com o lema «Garzón represor, fuera de Argentina».

Um dos representantes da associação disse que a acção de repúdio visava «desmascarar» Garzón, que «permitiu torturas a detidos políticos, perseguiu militantes sociais e jornalistas, proibiu organizações revolucionárias e meios de comunicação críticos com o regime espanhol». Repúdio constante
O ano passado, Garzón foi alvo de várias acções de repúdio na Argentina. Eis algumas delas: Buenos Aires (Setembro), Mar del Plata (Outubro), Buenos Aires (Novembro).

CRÓNICA: «Otra vez escracharon a Baltasar Garzón "por represor", en Buenos Aires» (Resumen Latinoamericano)

Terceira brigada enviada pela Askapena ao Saara Ocidental também expulsa

Tal como aconteceu com as duas brigadas da Askapena que se deslocaram, em Agosto, aos territórios ocupados do Saara Ocidental, a terceira também foi expulsa desses territórios pelo Governo de Marrocos. A brigada, formada por duas pessoas, encontrava-se na cidade de Dakhla e, ontem à noite, foi obrigada pela Polícia marroquina a entrar num táxi com destino a Agadir (Marrocos).

Numa nota, a Askapena fez saber que esta brigada chegou a Dakhla a 2 de Setembro e que, tanto nessa localidade como em Bojador, se encontrou com várias associações saarauís, conseguindo levar por diante o seu programa. Na semana que vem, será possível ler a crónica sobre o que ambos ali viram e aprenderam. / Ver: topatu.info e askapena.org

Néstor Kohan: «Marxismo: Cultura, ideología y hegemonía. Comunicación y lucha de clases» [víd.]

De la Doctrina de la Seguridad Nacional (de EEUU) a Rodolfo Walsh, Haroldo Conti y Raymundo Gleyzer. Las nuevas tareas en el siglo XXI. SINTESIS: Teoría marxista de la cultura, la ideología y la hegemonía. Comunicación y lucha de clases. De los Simpson y Hollywood a Marx y Lenin, Antonio Gramsci y la Escuela de Frankfurt, Fredric Jameson, Raymond Williams, Terry Eagleton y Pierre Bourdieu.

Proyecto Memoria del futuro: BRANCALEONE FILMS y CATEDRA CHE GUEVARA. www.amauta.lahaine.org / Ver: lahaine.org

Homenagem a Baltazar Ojeda Negretti, Comandante Elías, no 23 de Enero

«!Honor y Gloria para los caídos!», foi algo que se ouviu em diversas ocasiões, na tarde de dia 6, no corredor dos bustos, ali onde os que ainda estão recordam os que já se foram.

Camaradas, amigos, familiares e um grande número de simpatizantes juntaram-se este sábado à tarde, 6, no Boulevard Simón Bolívar, situado na Cañada do 23 de Enero, em Caracas, para render homenagem a Baltazar Ojeda Negretti, o Comandante Elías - quando passam 22 anos sobre o seu desaparecimento -, no acto de inauguração do seu busto.

A cerimónia, que ultrapassou todas as expectativas e foi organizada pela Coordenadora Simón Bolívar, começou com as notas do «Gloria al Bravo Pueblo», hino oficial da República Bolivariana da Venezuela, a que se seguiu «A Internacional»; por fim, antigos membros do PCV, do MIR e de vários grupos insurgentes do passado recente cantaram, de forma emotiva, o «Bella Ciao», hino dos partisans.

Em seguida, fez uso da palabra um membro da Coordenadora Simón Bolívar, Juan Contreras, que deu as boas-vindas aos camaradas que participaram na homenagem - a quem chamou «guerrilheiros de ontem, combatentes de sempre».

A homenagem prosseguiu com a participação do menino Yoleique, que recordou algumas frases famosas de Simón Bolívar e outras consignas mais, e de Hugo Ojeda Negretti, irmão do homenageado, que sublinhou a adesão à homenagem e o «carinho profundo» pela figura do seu irmão e camarada. / Mais infomação e vídeos: pakitoarriaran.org / Sobre o Comandante Elías, ver: CSB

quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

A multinacional Mediapost tem mais despedimentos e reduções de direitos na calha

Em concentrações recentes realizadas frente à sede desta empresa de distribuição publicitária em Mungia (Bizkaia), e na área comercial Megapark, em Barakaldo (Bizkaia), o CNT denunciou os planos da administração da multinacional, que passam «por mais despedimentos e reduções de direitoslaborais».

«A empresa alterou as retribuições variáveis, como ficou patente na reunião convocada na Inspecção do Trabalho. Não satisfeitos com a aplicação dessa medida, agora querem aproveitar a assinatura do novo acordo para acabar definitivamente com direitos adquiridos na Bizkaia», alertou a secção sindical do CNT.

O sindicato já avisou que se irá manter alerta «face a qualquer tentativa de reduzir ainda mais os direitos das/os trabalhadoras/es na empresa», «não admitindo mais situações de abuso ou despedimentos».

O CNT fez ainda um apelo aos outros sindicatos com representação na empresa no sentido de que «trabalhem em prol da unidade dos trabalhadores para assim responderem de forma conjunta a estes ataques». / Ver: lahaine.org [foto de arquivo]

Acessos a Gares são alvo de controlos frequentes da Guarda Civil

Na terça-feira, 9, a Benemérita controlou diversos acessos a Gares (Nafarroa), segundo denunciaram fontes locais: na entrada por Obanos, junto a Orbalaiz, e na rotunda da fábrica Eunea.

De acordo com a revista digital Garesko Auzalan, o que se passou na terça-feira não é inédito neste Verão. Nos últimos meses, o número de controlos tem sido grande e a presença da Guarda Civil na região tem sido uma constante. Para dar apenas um exemplo, no dia 11 de Agosto todos os acessos a Gares foram alvo de controlo.

Hoje em dia, existem em Nafarroa 5,4 polícias por 1000 habitantes (forais, nacionais e beneméritos); se a estes se juntar os municipais, esse número sobe para 8. Na Europa, o número médio por mil habitantes é de 3,37, sendo que a recomendação para uma sociedade «normalizada» aponta para 2 polícias por cada 1000 habitantes. / Ver: ahotsa.info

Diada: 1 800 000 nas ruas pelo direito a decidir e a independência da Catalunha

«Barcelona: Oceano independentista por el derecho a decidir» (lahaine.org)
Cientos de miles de personas participan en la movilización de esta tarde formando una V con los colores de la bandera catalana en la Diagonal y la Gran Via.
«El independentismo revolucionario también convoca a miles de personas» (lahaine.org)
Varios miles de personas han atravesado el Paseig Sant Joan y luego el barrio del Born convocados por las organizaciones de la izquierda independentista catalana bajo el lema «Desobedecemos por el referendum, por la independencia y por los Països Catalans».
«Jendetza Katalunian independentziaren alde» (argia.com)
Ehunka milaka pertsonak Bartzelonara independentziaren alde mobilizazio erraldoia osatu dute. Historiarako argazkia utzi dute V erraldoi batekin, «azaroaren 9an bozkatu egingo dugu, azaroaren 9an irabazi egingo dugu» lemapean.
«Una gigantesca V escenifica en Barcelona el clamor por la independencia» (naiz.info)
Hasta 1.800.000 personas, según la Guardia Urbana de Barcelona, han reclamado esta tarde el derecho a decidir y la independencia de Catalunya en las calles de la capital catalana, en la que, convocados por la Assemblea Nacional Catalana (ANC) y Òmnium Cultural, han formado una gigantesca V de más de 11 kilómetros, a lo largo de la cual han formado una gran senyera.
«1.800.000 kataluniar kalean galdeketaren alde» (Berria)
Bartzelonako Udaltzaingoak eman duen datuaren arabera, inoizko handiena izan da Diada aurten. Jendetzak aise gainditu du izena eman zutenen kopurua Diagonalen eta Kale Nagusian. Goizean Artur Masek berretsi du lehentasuna azaroaren 9an galdeketa egitea dela.

Ver também: «Manifestação da Rescat pelos presos na Via Laietana» (lahaine.org)
La Haine entrevista Abel Caldera (Endavant), JuanRa (KOP) e Alberto (Yesca).

Elkartzen: «El nuevo regalo de Rajoy a la banca»

Este es un nuevo insulto a las víctimas y un regalo a los verdugos financieros, y llega en un momento en el que el número de ejecuciones hipotecarias sigue en las dramáticas cifras de años anteriores, mientras el paro y la pobreza siguen aumentando al igual que los beneficios de la banca y las grandes empresas que cotizan en el IBEX. (BorrokaGaraiaDa)

«Emilio Botín, grande capitalista financeiro espanhol, morre na opulência aos 79 anos»
Autoritário e reacionário, Botín declarava abertamente a necessidade de desregular tanto o mercado laboral como o financeiro, como via de enriquecimento da sua classe numha fase em que o capital financeiro já é hegemónico no processo de acumulaçom de capital a nível mundial. (Diário Liberdade)

«A crise do capitalismo e a "maçã-de-Adão" do revisionismo comunista», de José Paulo GASCÃO (PCB)
Tudo parece indicar que a presente crise do capitalismo dificilmente será temporariamente superada sem uma violenta destruição massiva de capital – uma guerra, hoje de consequências inimagináveis que pode mesmo pôr em causa a vida do planeta – ou uma ruptura revolucionária que destrua o sistema de capital, o que não se antevê no curto e no médio prazo, até por falta da sua definição como objectivo das organizações do movimento operário, e ausência de preparação do elemento subjectivo.

A 41 anos do golpe fascista no Chile: último discurso de Salvador Allende

Último discurso do presidente Salvador Allende, proferido pouco antes da tomada do Palácio de La Moneda, em Santiago, pelas forças fascistas, com o apoio dos gringos, e transmitido pela Radio Magallanes. «Trabajadores de mi patria: tengo fe en Chile y su destino. Superarán otros hombres este momento gris y amargo, donde la traición pretende imponerse. Sigan ustedes sabiendo que, mucho más temprano que tarde, de nuevo abrirán las grandes alamedas por donde pase el hombre libre para construir una sociedad mejor.
¡Viva Chile! ¡Viva el pueblo! ¡Vivan los trabajadores!»
Salvador Guillermo Allende Gossens, 11/09/1973

quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

Chuva de multas contra opositores ao TGV em Nafarroa

O Mugitu! mugimendua revelou que, no último mês, teve conhecimento de sanções administrativas contra 47 pessoas que participaram em acções convocadas pelo movimento de desobediência contra o TGV em Nafarroa. As multas rondam os 20 000 euros.

As duas acções de protesto que motivaram as queixas e as sanções foram o acorrentamento de dois opositores à varanda da Deputação em Iruñea (onde foram identificadas 33 pessoas que apoiavam ou presenciavam a acção e que foram acusadas de impedir a passagem do trânsito e multadas em 450 euros) e a ocupação simbólica do Museu Ferroviário de Castejón (onde foram identificadas 14 pessoas, duas delas repórteres fotográficos).

O Mugitu considera que «esta sangria económica» responde a «uma clara tentativa de criminalizar a oposição ao TGV, visando silenciar as vozes críticas contra essa infraestrutura e instaurar a desmobilização no seio da oposição ao TGV e da sociedade». E fazem-no precisamente quando este projecto «é mais questionado que nunca e quando o atraso e as dificuldades da sua construção são mais evidentes».

O Mugitu convida as pessoas que estão ser notificadas com as sanções relativas ao protesto na Deputação a pôr-se em contacto, o mais rapidamente possível, com o movimento, através do e-mail mugituaht@gmail.com.

Acção do Mugitu na Deputação de Nafarroa
Perseguição ao movimento popular navarro
Se é verdade que esta forma de repressão é uma constante em Nafarroa, também o é que nos últimos meses as multas aumentaram bastante. Às multas agora divulgadas pelo Mugitu juntam-se as impostas a estudantes que se manifestavam contra a LOMCE (cerca de 50) e as que a Guarda Civil passou em Leitza, Uharte e Altsasu, localidades onde dezenas de pessoas denunciaram esta perseguição económica.
Antes, um grupo numeroso de manifestantes denunciou ter sido alvo de queixas colectivas, em virtude da sua participação num «bicipikete» durante uma greve geral, tendo chegado a manifestar-se frente à Delegação do Governo espanhol em Iruñea. / Ver: ahotsa.info

Acção pelos presos bascos no mundial de basquetebol [imagens não exibidas na TV]

Um grupo de pessoas levou a cabo uma acção solidária com os presos políticos bascos durante o jogo disputado pela Eslovénia e os EUA, ontem, 9, no pavilhão de Sant Jordi, em Barcelona, a contar para o Mundial de Basquetebol.

A TV não passou as imagens, mas há algumas na Internet:
Os activistas mostraram bandeirolas com inscrições em inglês a exigir o repatriamento dos presos e a denunciar a situação em que se encontram os presos doentes. Um deles chegou a «invadir o campo». / Mais Informação: Directa.cat via argia.com

Mural solidário com a Palestina em Barañain, apesar da proibição municipal

Pese embora os entraves colocados pela UPN, ontem, dia 9, um grupo de pessoas pintou um mural – uma reprodução do «Guernica», de Picasso – em solidariedade com a Palestina.

Para evocar o massacre do povo palestiniano em Gaza, um grupo de pessoas pediu autorização à Câmara Municipal de Barañain (Nafarroa) para pintar um mural com o «Guernica» junto à inscrição «Barañain Palestinarekin elkartasuna, Gernika 1937-Gaza 2014». A UPN respondeu «sim» ao Picasso e «não» às referências à Palestina e a Gaza.

Não conformados, os peticionários decidiram desobedecer e levar a pintura do mural avante, que ontem, terça-feira, 9, se concretizou. Dezenas de pessoas juntaram-se para levar a pintura a efeito, enquanto ouviam uma conferência dada por membros da Askapena e mostrando que «a vontade do povo se sobrepunha à proibição municipal».

Mural solidário com a Palestina [Plazaberri]
Ver: ahotsa.info

La Haine: «Diada 2014: El derecho a decidir más cerca que nunca»

La convocatoria por parte de la Assemblea Nacional Catalana de la Diada Nacional de Catalunya, que se prevé será la manifestación más grande de la historia de Catalunya, abrirá la última fase antes del 9N, fecha prevista para la votación. Más de 500.000 personas se han inscrito ya para formar la V que unirá, el próximo jueves la Avenida Diagonal y la Gran Vía de Les Corts Catalans formando una senyera gigantesca en forma de V que reivindicará el derecho a decidir del pueblo catalán. (lahaine.org)

«O PSOE é assim: Abel Caballero recorre da ordem judicial para a retirada da cruz fascista em Vigo», de Diário Liberdade (Diário Liberdade)
A Cruz dos caídos do bando golpista, inaugurada polo assassino Franco em 1961 no monte do Castro, em Vigo, é agora veementemente defendida polo presidente da cámara viguesa, do PSOE.

«Lenin e o revisionismo», de Miguel URBANO RODRIGUES (odiario.info)
Lenin repetiu incansavelmente que sem teoria revolucionária nenhum movimento revolucionário pode triunfar. Mas conseguiu, com imaginação e talento, ser simultaneamente flexível na aplicação do método marxista e intransigente no combate às ideias e manobras daqueles que, afirmando ser marxistas, assumiam na prática posições incompatíveis com a ideologia do autor de O Capital. [Em castelhano: boltxe.info]

Todo o apoio e solidariedade da Askapena a Alfon, Urtzi e Telle

[Ler texto completo, em euskara e castelhano, em askapena.org]
Ultimamente, el Estado está coartando la libertad sin límites y por ello somos miles los que por participar en las luchas sociales políticas y sindicales, hemos conocido las diferentes caras de la represión.
Por todo lo expuesto, desde Askapena, queremos trasmitir todo nuestro apoyo y solidaridad a Alfon, Urtzi y Jon. Exigimos también la retirada de todos los cargos y castigos.

Porque los necesitamos en la calle para que puedan participar en la lucha con nosotras, en defensa de los pueblos trabajadores; por que la huelga es un derecho, no un delito!

Alfon aske! Urtzi Martinez aske! Jon Telletxea aske! Gora langile klasearen borroka!

Liberdade para Alfon! Liberdade para Urtzi Martínez! Liberdade para Jon Telletxea! Viva a luta dos trabalhadores!
Ler texto em euskara em askapena.org